História do capacete

Os capacetes estão presentes em praticamente toda a história da humanidade. Documentos demonstram o seu uso desde a pré-história, com uma gama de variedades entre formas e tamanhos em diversas culturas, muito antes dos capacetes motociclísticos serem desenvolvidos.

Na Segunda Guerra Mundial o exército britânico utilizou capacetes para seus pilotos de expedição que eram consideravelmente, diferentes de outros capacetes de combate, sendo os pilotos obrigados por regulamento a utilizá-los. Esse regulamento militar pode ter sido o primeiro exemplo moderno de uma lei para uso do capacete.

Infelizmente, o marco no desenvolvimento do capacete de motocicleta moderno envolveu a morte de um motociclista.

Em 1935, Thomas Edward Lawrence (foto), conhecido mundialmente por “Lawrence da Arábia” (interpretado no filme do mesmo nome por Peter O'Toole), foi de forma indireta, o responsável por tornar o capacete um item de segurança tão conhecido e importante.

Ele era um oficial inglês que se tornou famoso por sua habilidade e percepção ao relatar ao mundo a terrível guerra que ocorreu em 1916, no Oriente Médio. Apaixonado por motocicletas, Lawrence sofreu um acidente em sua moto - uma Brough Superior SS100 - que havia recebido de presente de George Bernard Shaw, em uma estrada perto de sua casa de campo na pequena cidade inglesa de Wareham.

O motivo do acidente se deu por uma irregularidade na estrada, que impossibilitou Lawrence de ver com antecedência dois garotos que andavam de bicicleta. Para não feri-los, o famoso oficial inglês desviou, mas perdeu o controle da motocicleta e foi arremessado por cima do guidão. Na queda, como não usava capacete, sofreu graves lesões na cabeça, entrando em coma e vindo a falecer seis dias depois.

Vale lembrar que na época o uso de capacetes era comum apenas em corridas de motos e não muito nas estradas.

Indignado com a grande perda, Hugh William Bell Cairns - o neurocirurgião que o atendeu - iniciou um detalhado e amplo estudo sobre pilotos de motocicleta que se feriam na cabeça, e os primeiros estudos sobre a eficácia dos capacetes. Graças aos estudos do Dr. Cairns, tanto o exército inglês quanto os civis passaram a utilizar capacetes e, consequentemente, outros países seguiram o exemplo da Inglaterra. Anos depois, o neurocirurgião tornou-se Sir Hugh Cairns.

 

Paralelamente, em 1954 no subúrbio de Bell na Califórnia, Roy Richter - amante do automobilismo - começou a produzir produtos de segurança e proteção para pilotos automobilísticos, após um grande amigo sofrer um acidente numa corrida.

Nascia a "Bell Helmets", manufaturando seu primeiro capacete, o "500-TX" (foto) - capacete clássico mundialmente famoso. A companhia Bell Helmets cresceu e até hoje é um ícone da categoria. O clássico e famoso capacete "500-TX" continua em comercialização.

Em 2001, a Bell Sports vendeu os direitos de uso da marca Bell para capacetes automobilísticos em duas entidades: Bell Racing USA (para América do Norte e América do Sul + Nova Zelândia) e Bell Racing Europe (para Europa, Ásia e África).

Ambas operam como duas companhias totalmente independentes sob licença da Bell Sports Inc; cada uma com sua própria pesquisa, programas de desenvolvimento e linha de produtos adaptada para seus respectivos mercados individuais.

A Bell Racing USA é especializada em capacetes motociclísticos e ciclísticos, enquanto a Bell Racing Europe permanece com os capacetes automobilísticos. Para saber mais acesse: www.bellhelmets.com e www.bellhelmets.eu.